Total de visualizações de página

terça-feira, 1 de maio de 2012

Doze horas de atrações culturais nesta terça na Festa da Lavadeira no Recife Antigo

Publicado em 30.04.2012, às 17h02 por JC PE A comemoração do Dia do Trabalho promete ser agitada nesta terça-feira (1º) no Bairro do Recife. É que, depois de 25 anos de história e sucesso, a Festa da Lavadeira acontece, este ano, no Recife Antigo, com apresentação de mais de 50 grupos culturais, numa programação que se estende durante todo o dia 1º de maio. O evento, que tradicionalmente ocorria na Praia do Paiva, no Cabo de Santo Agostinho, este ano chega ao Recife com expectativa de público de cem mil pessoas. Das 10h às 22h, se apresentam, em quatro palcos espalhados pelo bairro, grupos de frevo, maracatu, ciranda, samba, afoxés, mazurca, entre outras tradições culturais do Estado. Entre os destaques da programação estão Karina Spinelli, Lia de Itamaracá e Claudionor e Nono Germano, que se apresentam no Palco do Mar, localizado no Marco Zero. O evento conta ainda com mais três palcos: Palco da Terra, na Rua da Moeda; Palco do Rio, na Rua do Observatório; e o Palco da Lama, que fica na Praça do Arsenal. Cerca de 270 seguranças foram contratados pela produção do evento para garantir a segurança do público, que promete lotar o maior festival da diversidade cultural de Pernambuco e Nordeste do Brasil. Às 16h30, a Orquestra de Frevo Juvenil de Paulista sobe no palco do Marco Zero e irá contar com duas presenças ilustres. Um dos principais intérpretes de Capiba e Nelson Ferreira, o cantor Claudionor Germano e seu filho Nonô Germano, juntam-se à Orquestra para deixar a festa ainda mais bonita. Claudionor não esconde a emoção em participar dessa grande celebração da cultura pernambucana: “É a primeira vez que participo da Festa da Lavadeira e estou muito orgulhoso de fazer essa participação especial por ser uma festa do popular, feita para o povo e para preservar nossa cultura”. LEIA MAIS » Festa muda trânsito no Recife Antigo O secretário de Turismo de Pernambuco, Alberto Feitosa, acredita que a festa possui uma importância tanto cultural quanto econômica, pois “o mercado americano gosta muito dessas expressões étnicas do Brasil. Então nosso objetivo é fazer com que a festa tenha uma visibilidade maior e atraia mais turistas de fora do País”, explica o secretário. E a expectativa é de que o evento cresça cada vez mais e continue acontecendo no Recife: “Estamos investindo muito no mercado da América Latina e América do Norte, mais precisamente nos Estados Unidos, e vamos continuar apoiando eventos como a Festa da Lavadeira, que são grandes demonstrações da cultura ética do Estado”, completa o secretário. Quem também reforça a importância é o prefeito do Recife, João da Costa. Ele acredita que a festa tem a cara do povo e “traz nas suas origens as raízes e a identidade das mulheres e homens de Pernambuco”. Outro ponto importante, para o prefeito, é a oportunidade dada aos artistas locais. “É um grande evento que dá espaço para os artistas populares mostrarem sua arte e também uma rica oportunidade de unir as pessoas em torno de uma cultura tão plural e democrática como a nossa”, endossa o João da Costa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário