Total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Ana Cristina Cesar

Ana Cristina Cesar poeta é onda/
onda é canto/
canto é espera/
espera é adeus/
adeus é morte/
morte é nódoa/
nódoa é ostra/
ostra é ensaio/
ensaio é busca/
busca é poeira/
poeira é poeta
(novembro de 1968- definição) A companhai das letras põe no Mercado-POÉTICA – Ana Cristina César Obra,Poética, traz textos ja publicados e inéditos da poetisa braaisleira, falecida jovem e com uma lirica de vaguarda. A poetisa falecida em 1983, jovem, cooeram seus poemas deixou uma lacuna e tanto. Breve, a vida,como cantou e disse nos versos, ela se foi aos 31 anos. João Paulo Cuenca afirma que : “Esse livro reúne não só os livros que ela conseguiu organizar em vida, mas coisas que o Armando Freitas Filho recebeu poucas semanas depois da morte dela em quatro caixas que a família tinha guardado”, Cristina guardava com zelo seus poemas numa performance de colecionadora de si, como fez com os fatos da vida. Sua obra sempre foi a frente de seu tempo e continua perdurando, pela escrita enxuta, densa.Hibrída em seu estilo de escritura assim pedula entre gêneros, entre a escrita prosa pop e fios da literatura tradicional. A poetisa faz , ou parece-nos, decentrar-se para romper com os estereotipos de vanguardas a sua epóca, nao queira o papel comum da poesia , queria esgarça-la e assim fazendo esse eu abria-se em fendas absurdas para então postar sua poética. A nova , espécie de antologia nos reabre Ana Cristina para reavermos sua estética, que perdura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário