Total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Depois de Madri, Lygia Pape desperta interesse na Inglaterra

POR O GLOBO

Mostra ‘Magnetised Space’ é a primeira exibição solo da artista brasileira no país
FERNANDO DUARTE
Publicado:
12/12/11 - 8h15
Atualizado:
12/12/11 - 8h15



Envios por mail: 0

"Tteia": obra iniciada nos anos 1970 e concluída em 2002 exige contorcionismo do público inglês
DIVULGAÇÃO
LONDRES - Diante da atenção dedicada às artes plásticas brasileiras pelas instituições culturais britânicas nos últimos anos, é surpreendente que "Magnetised Space", aberta na última quarta-feira na Serpentine Gallery, em Londres, seja a primeira exibição solo de Lygia Pape no Reino Unido.
Ainda mais quando alguns dos principais jornais britânicos não economizaram elogios à obra da brasileira para falar do evento em cartaz até 19 de fevereiro na charmosa galeria no coração do Hyde Park. As portas, porém, foram escancaradas pela retrospectiva de Pape realizada no início de 2011 em Madri pelo Museu Reina Sofía, em especial pelas estatísticas — mais de 180 mil visitantes nos três meses de exibição na capital espanhola.
Convites de Hélio Oiticica
A galeria londrina não quis mexer num time que estava ganhando, na medida do possível, claro: sem gozar da mesma amplidão do Reina Sofía, a Serpentine realiza uma versão reduzida da retrospectiva. Nem por isso menos impressionante, que fique bem claro: nos primeiros três dias de "Magnetised Space", um simples movimento como circular "Tteia" — a instalação com fios dourados concebida por Pape nos anos 1970 mas concluída apenas em 2002, dois anos antes de sua morte — exigia contorcionismo dos frequentadores. A instalação, por sinal, foi um dos itens mais menciona$pela mídia britânica e até comparada com a estética do cineasta alemão Fritz Lang.
Tudo para o deleite de Paula, filha da artista e comandante do Projeto Lygia Pape, a organização que gerencia seu patrimônio cultural.
— Nos tempos em que o Hélio Oiticica morou em Londres, ele convidou minha mãe várias vezes para visitá-lo, mas ela não podia viajar por causa da ditadura. A Lygia também não era uma pessoa obcecada pela fama, então ela não se preocupou demais em exibir em Londres, ainda que tenha partici$de algumas exibições coletivas. Por isso fiquei um pouco surpresa com o interesse do público — explica Paula.
Não é clichê dizer que se trata de uma oportunidade didática para os interessados. "Magnetised Space" cumpre à risca a missão de apresentar uma cole$ânea dos marcos da obra de Pape. Além de "Tteia", estão na Serpentine exemplos palpáveis como a seminal instalação "Livro do Tempo", de 1961, e mais etéreos como "Eat Me: A gula ou a luxúria", o vídeo de 9 minutos de 1975 marcado pelo close-up de bocas e uma trilha sonora cacofônica. A exibição reserva ainda espaço para a documentação das performances organizadas pela artista — como o balé "Divisor" —, que a Serpentine fez questão de lembrar serem manifestações de protesto contra a repressão do regime militar no Brasil. Organizada em parceria com o Projeto Lygia Pape e o Reina Sofía, a exibição não parece estar atraindo apenas o interesse de meros espectadores: segundo Paula, ofertas de compras já começaram a pipocar, assim como convites para outros eventos.
— Mas não estamos pensando em negociar coisa alguma. E mesmo outras exposições internacionais vão ter que esperar um pouco, pois temos o evento da Pinacoteca, em São Paulo, em março. Adoraria que mamãe ainda estivesse conosco para poder apreciar esse interesse todo — afirma Paula.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/cultura/depois-de-madri-lygia-pape-desperta-interesse-na-inglaterra-3428589#ixzz1gJrdXwJJ
© 1996 - 2011. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Nenhum comentário:

Postar um comentário