Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

DESTAQUE NA LITERATURA- MAIS UM PERNAMBUCANO NO MUNDO LITERÁRIO

Quero destacar este autor como um dos mais recentes aparecimentos de estrondo na literatura brasileira.VALE A PENA LER. PAULOVAS josé Luiz Passos nasceu em Pernambuco em 1971. Sociólogo por formação, doutorou-se em Letras. Morou em São Paulo e ensinou em Berkeley por nove anos. Atualmente é professor de literaturas brasileira e portuguesa na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, onde também foi, de 2008 a 2011, diretor do Centro de Estudos Brasileiros. Em 1998, publicou Ruínas de linhas puras, sobre as viagens de Macunaíma e sua relação com Pero Vaz de Caminha e Ulisses, de James Joyce. Em Machado de Assis, o romance com pessoas (2007), interpretou a influência de Shakespeare na composição moral dos narradores e personagens de Machado. No campo da ficção, estreou em 2009 com Nosso grão mais fino, contando a história de dois amantes que imaginam uma relação incestuosa, enquanto assistem à ruína das suas famílias no Nordeste canavieiro. Seu romance mais recente, O sonâmbulo amador (2012), acompanha a vida madura de Jurandir, um pequeno burocrata da indústria têxtil que, às vésperas de se aposentar, é tomado pela necessidade de prestar mais atenção aos sonhos e rever suas amizades: sem jamais querer ser herói de última hora, do confronto entre o amor e a política Jurandir busca apenas encontrar melhor companhia. ELOGIOS “Nosso grão mais fino contraria positivamente a literatura do aqui e agora. Representa na literatura brasileira contemporânea um romance de efetiva modernidade.” Carina Lessa, Jornal do Brasil “O romance traz um dos suicídios mais espetaculares da literatura brasileira. A cena aparentemente implausível torna-se impecavelmente verdadeira.” Jerônimo Teixeira, VEJA “A força da narrativa consegue operar uma espécie de aproximação entre Faulkner e João Cabral de Melo Neto.” Ricardo Lísias, Correio Braziliense “Os momentos de recordação, neste sofisticado autor, pairam fora do tempo, numa construção ficcional de caprichada fatura.” Flávia Cesarino Costa, Valor Econômico “Linguagem e estilo se colocam em diálogo fértil, com metáforas preciosas, vocabulário rico. Um escritor culto e engenhoso, que tanto se abandona na prosa poética quanto bem controla as camadas de histórias.” Milena Britto, A tarde "Um romance grande, sensível, que reata sim com uma miríade de referências da nossa literatura, mas jamais o faz mediante uma tese pensada e arquitetada. Ao contrário. Quem ousa, firme e teimoso, reinventar a prosa do engenho, revisitar o açúcar que se supunha acabado? Mas, sobretudo, quem é o despudorado a escrever uma prosa poética, a inventar uma voz lírica quase como se a escrita ultrarealista das últimas décadas não tivesse existido?" Pedro Meira Monteiro, Universidade de Princeton “O estilo é fino, as personagens ficam de pé. E a narrativa, já madura para um primeiro romance, lembra ao leitor Osman Lins e Machado de Assis.” Milton Hatoum “Um livro imponente. Sua escrita evidencia o talento e o capricho de uma inteligência culta e rara.” Francisco J. C. Dantas “Um belo romance, embrenhado em memória e cheiro de açúcar.” Pepetela

Nenhum comentário:

Postar um comentário