Total de visualizações de página

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Antonio David expõe traços desenhados pela água na areia da praia




foto
Antonio David Diniz - Reporter fotografico paraibano.


João Pessoa(PB) - Traços desenhados pela água na areia da praia. Usando o vai e vem das ondas, o brilho do sol e colorido da vegetação, a natureza produz imagens que encantam pela riqueza e sintonia de detalhes. Embora despercebida aos olhos de muita gente, essas imagens foram descobertas pelas lentes do fotografo Antonio David.


Após dedicar mais de uma década à pesquisa, David irá expor 23 fotografias, tamanhas 30x45cm, feitas da beira-mar. Com o título “Olhar Tátil”, as obras serão expostas entre os dias 03 e 17 de novembro, na área de Lazer do SESC Centro João Pessoa. Elas poderão ser conferidas das 08h00m às 18h00m, de segunda à sexta-feira.



O trabalho será aberto ao público, após ser analisado por especialistas experientes na área. De acordo com o crítico de artes, Walter Galvão, “David extrai, com habilidade de alquimista, imagens oníricas, sensuais, lúdicas e inéditas do movimento eterno e simples do mar sobre o aparente despojado da areia”.


“Resultam dessa garimpagem das fábulas naturais narrativas que transcendem ao feixe icônico que nos atravessa diariamente, surgindo nas fotos arquitetônicas, inscrições, luminosidades e colorações fantásticas que revelam a sensibilidade do artista, a acuidade do jornalista e a vontade eterna de liberdade do homem”.


O membro da Associação Brasileira de críticos de Artes, Eudes Rocha Jr, lembra que “o homem, ao longo da existência na Terra, tem observado como a natureza, espontaneamente, ou com interferência humana produz imagens mais diversas e curiosas. Sejam pela beleza, exotismo ou bizarrice”.


“Muitas imagens são descobertas frequentemente pelas civilizações dos quatro cantos do mundo. Estão na Austrália, Oeste Americano, Floresta Amazônica, interior das grutas de Minas Gerais ou em cidades do sul da Itália, vitimadas por erupções vulcânicas ou ainda nos lugares onde a erosão eólica é um fenômeno presente”, acrescentou.


Eudes Rocha acredita que é possível encontrar imagens desse gênero na Paraíba. “Elas vêm sendo capturadas pelo olhar perspicaz e talentoso de Antonio David que, com rara sensibilidade, faz da fotografia mais do que um resultado técnico, apreendendo imagens da beira-mar, ao longo das nossas praias, descobrindo-lhes a poesia que encerram. São imagens cujas tramas feitas na areia pelo ir e vir das águas do mar, ganham uma beleza ainda maior com o brilho do sol sobre aquela fina camada d’água, realçando o claro escuro dos relevos e contornos desenhados pelo fluxo e refluxo da maré”, observou.



Semiótica do Olhar Tátil
Sobre Antônio David Diniz, escreveu o filósofo pop, poeta, performer e agitador cultural pernanbucano Jomard Muniz de Brito:

"Habitante em João Pessoa, Antonio David navega muito mais pelas areias do Cabo Branco, apesar da erosão, captando e recriando, no mesmo ato experimental, todo o imaginário da maré baixa. Com objetiva normal, a partir da natural iluminação, ele caminha se empregnando de imprevistos signos da visibilidade: imagens rupestres, arqueologias revisitadas, animais flutuantes, resíduos da liquidez, decomposições, pássaros celestiais, marcas do tempo, registros da imagem-em-ação.


Tudo mais e sempre que o desejo desejante encontra na natureza naturante. Particípios do presente. Promessa de vida. Núpcias entre o céu e a terra, sem qualquer estranhamento. Antonio David e a semiótica do olhar desejante.


Não é a paisagem turística que afeta ou comove essa semiótica do olhar tátil-desejoso. Ela é muito melhor tocada ou impregnada pelo “princípios das aventura”, segundo a finura de Roland Barthes. A própria foto não é em nada animada, mas ela nos anima: é o que a ventura produz. E nisso, portanto, ela se traduz e nos seduz como ventura, prazer do olhar, felicidade sensual, coito ininterrúpto, paixão fecundante entre o natural e o cultural.


Antonio David e o culto ou curtições das divindades marinhas. A semiótica do olhar tátil de David não tem pressa de fama, mas promete ser o que sempre foi: consciência afetiva de nossas doações, dádivas e decifrações de uma natureza naturante que se deseja cada vez mais desejante de vida não poluída".




Profissional de sucesso
Antonio David Diniz(Foto) é formado pela Universidade Federal da Paraíba em 1988 e Repórter/Fotográfico desde 1975.



- Trabalhou nos jornais O Norte(1975-1976), O Momento(1985-1986) e em A União(1977-1994).


-Professor de Fotojornalismo na Universidade Federal da Paraíba(1991-1992).


- Membro do Sindicato do Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba(1975-2006).


- Membro da Associação Paraibana de Imprensa(1975-2007).


- Coordenador de Fotografia da Secretaria de Comunicação Institucional do Governo do Estado da Paraíba(1995-2006).


- Gerente Executivo de Fotografia da Secretaria de Estado da Comunicação Institucional(2009).


- Ganhou o Prêmio Lambe-Lambe de fotografia(2002) pela Agência ensaio no Núcleo de Arte Conteporânea - João Pessoa(PB). Sua Obra Integra o Acervo do Museu da Imaginação(2006).


- Lançamento do livro Antonio David 30 anos de Fotojornalismo(2007).


- 2010 - “Olhar Tátil” Área de Lazer do Sesc/PB, no centro de João Pessoa/PB.


- 2009 - O ser e o Mar, Área de Lazer do Sesc/PB, no centro de João Pessoa/PB.


- 2008 - 1ª Mostra de Arte Contemporânea Paraibana. Estação Cabo Branco - Ciências Cultura & Artes - João Pessoa/PB.


- 2008 - "Olho na Rua", Área de Lazer do Sesc(PB), no centro de João Pessoa(PB).


- 2007 - A cidade vista do edifício 18 andares – Instituto dos Arquitetos do Brasil , Centro Histórico(João Pessoa/PB).


- Lançamento do livro Antonio David 30 anos de Fotojornalismo.


- 2006 - Fragmentos – Biblioteca Pública do Governo do Estado(PB).


- 2005 - A Cidade Hoje - Coletiva Casarão 34.


- Parahyba - Coletiva Galeria Gamela de Arte.


- 2004 - Modos de Ver – Shopping Tambiá.


- Retrospectiva Solha David – Memorial do Arquiteto(PB).


- 2003 - Impressões na Areia – SESC(João Pessoa/PB).


- 2001 - As Virgens de Tambaú - Parahyba Café - Centro Histórico/PB.


- 2000 - VI Salão UNAMA de Pequenos Formatos-Belém(PA).


- Prêmio Press de Fotojornalismo Paraibano.


- Pequenos Formatos - Brasil 500 anos - Galeria Gamela(PB).


- Retratos da Vida Centro Cultural - São Francisco(PB).


- 1999 - Intercâmbio Fotográfico Minas/Sergipe/Paraiba.


- (RE)TRATOS Sesc(João Pessoa/PB).


- 1998 - Imagens da Terra Alliance Française(João Pessoa/PB).


- 1995 - Salão Paraibano Brasil de Arte Fotográfica, NAC/PB.


- II FENART – FUNESC João Pessoa(PB).


- 15 anos da Galeria Gamela – Sebrae(João Pessoa/PB).


- 1994 - 6º Samap – FUNJOP(João Pessoa/PB).


- Expofoto 94 Centro de Convenções de Recife(PE).


- 1993 Mezzanino Galeria Archidy Picada - FUNESCO.


- Na Mira da Objetiva, Galeria Gamela - João Pessoa(PB).


- 1991 - Além do Olho Nu, Galeria Metropolitana de Arte(Recife/PE).


- 1990 - II Arte Atual Paraibana (João Pessoa/PB).


- "Boi Só", Galeria Gamela (João Pessoa/PB).

Nenhum comentário:

Postar um comentário